11 dez 2011

E chega mais um integrante da Família Gatos… o Taz :)

Cris

Eu juro que achei que não iria mais fazer um post deste, mas nós temos MAIS UM membro na Família Gatos. Deixe-me contar a história e vocês entenderão que não havia outra coisa a ser feita. Mas primeiro, olhem a cara do pequeno e tenham outro motivo para que o resgate fosse feito… rsrs

Taz, novo membro da Família Gatos

"E vocês iriam ter coragem de me deixar jogado na rua??"

Agora vamos à novela… é sempre uma novela, não é mesmo.

Na sexta retrasada, dia 2 de dezembro, meu marido resolveu ir sentar na área da frente de casa para me esperar chegar, já que dou aula até tarde da noite. Pois ele havia acabado de se sentar em nossa confortável cadeira, quando viu uma moto subir a rua de casa, ir diminuindo a velocidade e se aproximando do meio fio. Viu também que ele tinha algo na mão e que iria jogar, percebendo que talvez fosse um gatinho. Calçou os chinelos e correu abrir o portão, mas quando chegou na calçada o desalmado já havia jogado o gatinho e ido embora.

Taz fazendo cara de coitadinho

"Olhem só a cara de dó que fiz para convencer meu pai a me pegar da rua..."

Um parênteses aqui para esclarecer que a rua de casa é super hiper mega power movimentada, principalmente em alguns horários, já que é uma rua de entrada da rodovia para a cidade e caminho de muitas escolas, entre elas um centro universitário. Do jeito que o bichinho estava assustado quando o meu marido o encontrou, não ia demorar nada para que ele corresse para a rua e fosse atropelado.

Taz, o gostoso

"Vocês não acham que eu merecia uma caminha quente para dormir?"

Quando cheguei e estacionei do outro lado da rua, esperando que ele abrisse o portão para eu entrar, ele nem se mexeu. Vi que ele tinha algo no colo e, por alguns segundos, imaginei que fosse o gato preto da vizinha, que vive andando pela rua e é uma coisa enorme e gostosa demais!! Então parei no portão e fui eu mesma abri-lo. Quando olhei para o colo dele, vi que não era nada tão grande assim, e então já comecei a ver que a situação era completamente outra.

Taz, o carinhoso.

"Eu dormindo encostadinho na minha mamãe."

Quando cheguei ao lado dele, lá estava aquela bolinha de pelos preta, dormindo no colo do meu marido com o jeitinho mais assustado do universo. Seu coraçãozinho batia tanto que parecia que ia sair pela boca! Fizemos muito cafuné, dei um pacotinho de Whiskas Sachê e ficamos ali, pensando no que fazer. Claro que essa dúvida não durou mais do que alguns segundos, pois não havia outra coisa a fazer a não ser acolher mais esse presente que Deus se encarregou de nos dar, da maneira mais inesperada.

Taz dormindo no travesseiro

"Acho uma delícia dormir no travesseiro!"

O problema é que no dia seguinte, bem cedinho, já tínhamos uma viagem marcada para São Paulo. Então o deixamos isoladinho no quartinho de visitas, o mesmo no qual a Lindinha ficou no seu período de recuperação, e lá fomos nós, com o coração apertado. Temos uma amiga de confiança e que adora animais que sempre cuida dos nossos filhotes quando viajamos. Voltamos dois dias depois e começamos a fazer a integração dele com o restante da Família Gatos. O que, diga-se de passagem, não deu problema algum… pelo menos para ele. ;)

Taz mordendo o pé do Cisquinho

"Eu atento a vida do Cisquinho o dia todo!"

Já faz uma semana que essa bolinha preta está conosco e demos a ele o nome de Taz, pois nada poderia combinar mais. Pensem num serzinho que não tem paradeiro, corre como o vento e atenta a vida de todo mundo! Ele não tem medo nem do Kotó, que deve dar uns 20 dele. Em compensação, é um anjo quando dorme e é o mais safado que tivemos até hoje! Com alguns dias em casa já vinha dormir na cama com a gente. Mais precisamente, no travesseiro com a gente, pois é o lugar onde se sente mais confortável. Passa a noite toda andando de um travesseiro a outro, deitado encostadinho na gente, é um dengo só. Quanto aos gatinhos, o que o aceitou mais depressa e virou seu companheiro inseparável, foi o Cisquinho. Assim como ele já havia feito com a Lindinha, não o estranhou nem no primeiro dia e é super amoroso e paciente com esse demoniozinho da Tasmânia.

Taz e o Cisquinho

"Eu e meu irmão inseparável, o Cisquinho."

E assim é, meus caros amigos. Cá estamos nós agora com 8 gatos (4 meninos e 4 meninas), 2 coelhos e uma cachorra que vale por 10! Há alguma forma de termos uma família mais linda do que essa? Que seja bem vindo o Taz, com toda a energia e agitação que só um gatinho de pouco mais de mês pode ter. E que seja feliz em nossa casa, pois já estamos mais felizes por poder tê-lo conosco.

Taz no seu lugar preferido, o travesseiro

"Vocês ainda vão me ver muito por aqui, dormindo no travesseiro dos meus pais."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...