1 fev 2012

Notícias do Taz

Cris

Primeiro, eu gostaria de agradecer a todos que torceram e desejaram melhoras para o nosso safadinho. Quem é “mãe” de gato, ou de qualquer outro animal pelo qual tenha um amor profundo, sabe o desespero que dá vê-los doentes. Mas, graças aos céus dos gatinhos, ele já está completamente recuperado, embora o tratamento continue por mais uns 10 dias.

E, para comemorar, eu trouxe fotos fresquinhas e um videozinho que fiz dele com sua grande paixão: o Garfield. E a recíproca é verdadeira! Os dois ficam juntos o dia todo, brincando, dormindo, dando banho um no outro, é uma graça! O Cisquinho e ele também se dão super bem (aliás, todos da Família Gatos gostam dele… não tem como não gostar, né… rsrsrs), mas a preferência é nitidamente pelo Garfield. E ainda fico devendo um post com notícias e fotos de toda a Família, pois estão todos cada vez mais gostosos e meu marido tirou umas fotos magníficas deles!

Eu sou folgado mesmo, e daí??

Nem o Kotó, que é o reizão da casa, resiste aos meus encantos... :D


17 jan 2012

O Taz tá dodói… :(

Cris

Hoje estou aqui para falar do Taz. O safadinho nos deu um susto danado neste final de semana!! Na sexta-feita, ao chegarmos em casa do trabalho, vimos que ele estava meio jururu, quietinho, coisa que não combina com a figurinha. Ele sempre está brincando com o Garfield, ou com o Cisquinho, correndo atrás dos brinquedos, subindo na mesa e nas janelas (que são teladas!) e fazendo muitas artes. Como toda criança em torno de 2 meses, ele é um gatinho muito ativo e brincalhão.

Olha só minha carinha de dodoizinho...

Para piorar um pouco as coisas, mais tarde da noite notamos que ele estava com tremores, respiração ofegante e parecia ter febre. Brincamos um pouco com ele, demos comida e ele pareceu melhorar um tiquinho. Mas continuou quietinho, deitado conosco na cama, no nosso travesseiro. No sábado de manhã, quando acordei, fui procurá-lo pela casa e não o achei. Como ele costuma se esconder em alguns lugares que seu corpinho ainda permite, chamei e fiquei esperando. Aos poucos os gatinhos foram aparecendo no quarto, e ele nada. Fui procurá-lo novamente pela casa e o achei dentro de uma caixa onde guardamos uns livros, super quietinho. Ao ver que ele estava com muitos tremores, apavorei!

Liguei na clínica veterinária (uma nova, que eu queria experimentar… ainda não tinha encontrado um veterinário que desse química… :( ) e havia uma veterinária de plantão. Catei nosso bichinho e corri para lá! E olha, não fosse pela situação, teria sido um dia perfeito! Encontrei a Dra. Joice… pensem numa graça de pessoa e que ainda por cima ama gatos! Tratou nosso pequerruxo com todo cuidado e amor. Mediu a temperatura e constatou que ele estava realmente com febre. Pediu um exame de sangue e o resultado saiu na hora: hemobartonelose. Eu nunca havia ouvido falar nessa doença e juro, quase tive um colapso, pensando em alguma tragédia! Depois vou escrever mais sobre a doença, mas trata-se de um parasita transmitido pela picada da pulga e que também pode ter sido transmitida a ele pela mãe. Vai destruindo as hemácias e as plaquetas e, se não tratada a tempo, pode levar a morte. Preciso explicar meu pavor?

Mas a Dra. Joice me tranquilizou e disse que era perfeitamente tratável. Deu uma injeção lá no consultório mesmo e passou uma batelada de remédios! É um para preparar o estômago do pobrezinho para o monte de remédios, um para a febre e dores, um para o parasita, um com ferro para tratar a anemia que a doença gera e um polivitamínico para fortalecê-lo. E o nosso bebezinho toma tudo comportadinho, dá até dó.

Depois de começar o tratamento no sábado, ele só foi voltar ao normal ontem à noite. Passei estes dias todos desesperada, uma verdadeira galinha carregando ele embaixo da asa desde então. No final de semana ele não tinha nem apetite e tivemos que rebolar para que ele comesse e se fortalecesse. Lendo alguns blogs estes dias, vi uma dica (não me lembro onde, sorry…) e resolvi testar. Comprei comida de latinha, tipo mousse, e deixei com consistência de papinha com um pouco de água morna. Não é que ele amou!! Não só ele como a Família Gatos inteira. Tirando os gulosos do Cisquinho, da Lindinha e da Pretinha, os outros nem sempre comiam comida úmida. Mas dissolvida com um pouco de água morna, todos adoraram!

Agora o bebê está se recuperando e já voltou a correr atrás de seus irmãos para atormentá-los. E meu coração já está bem mais leve… Só não podemos relaxar com o tratamento que, ao todo, vai levar um mês inteiro! Mas isso não nos incomoda nem um pouco, nem que levasse um ano nós não iríamos descuidar! Ver o nosso Taz doentinho foi um choque, nós nunca havíamos precisado correr com nenhum dos nossos bigodudos. As consultas ao veterinário foram sempre de rotina. Mas agora, vendo que ele está melhorando, já conseguimos respirar um pouco. E, pelo menos, o susto serviu para encontrarmos um anjo, que de agora em diante passará a cuidar da Família Gatos toda!! Dra. Joice, muito obrigada… do fundo do coração. :)


9 jan 2012

Era uma vez um fone de ouvido…

Cris

Não sei se acontece com todos vocês que têm a dádiva de compartilhar sua vida com um ou mais bichanos. Basta 5 minutos, e às vezes nem isso!!, para que uma arte ou desgraça completa aconteça.

Desta vez foi o meu fone de ouvido. Ou melhor, era uma vez um fone de ouvido. Por sorte era um bem meia boca, ganhado numa das viagens até São Paulo, da empresa de ônibus. Menos mal… Só não consegui descobrir o autor da arte, mas temos suspeitas… rsrsrs

Fone de ouvido deve ter gosto de que??

É impressão minha ou eles têm uma predileção por fios finos, tais como de telefone, de mouse, DE FONE DE OUVIDO…


11 dez 2011

E chega mais um integrante da Família Gatos… o Taz :)

Cris

Eu juro que achei que não iria mais fazer um post deste, mas nós temos MAIS UM membro na Família Gatos. Deixe-me contar a história e vocês entenderão que não havia outra coisa a ser feita. Mas primeiro, olhem a cara do pequeno e tenham outro motivo para que o resgate fosse feito… rsrs

Taz, novo membro da Família Gatos

"E vocês iriam ter coragem de me deixar jogado na rua??"

Agora vamos à novela… é sempre uma novela, não é mesmo.

Na sexta retrasada, dia 2 de dezembro, meu marido resolveu ir sentar na área da frente de casa para me esperar chegar, já que dou aula até tarde da noite. Pois ele havia acabado de se sentar em nossa confortável cadeira, quando viu uma moto subir a rua de casa, ir diminuindo a velocidade e se aproximando do meio fio. Viu também que ele tinha algo na mão e que iria jogar, percebendo que talvez fosse um gatinho. Calçou os chinelos e correu abrir o portão, mas quando chegou na calçada o desalmado já havia jogado o gatinho e ido embora.

Taz fazendo cara de coitadinho

"Olhem só a cara de dó que fiz para convencer meu pai a me pegar da rua..."

Um parênteses aqui para esclarecer que a rua de casa é super hiper mega power movimentada, principalmente em alguns horários, já que é uma rua de entrada da rodovia para a cidade e caminho de muitas escolas, entre elas um centro universitário. Do jeito que o bichinho estava assustado quando o meu marido o encontrou, não ia demorar nada para que ele corresse para a rua e fosse atropelado.

Taz, o gostoso

"Vocês não acham que eu merecia uma caminha quente para dormir?"

Quando cheguei e estacionei do outro lado da rua, esperando que ele abrisse o portão para eu entrar, ele nem se mexeu. Vi que ele tinha algo no colo e, por alguns segundos, imaginei que fosse o gato preto da vizinha, que vive andando pela rua e é uma coisa enorme e gostosa demais!! Então parei no portão e fui eu mesma abri-lo. Quando olhei para o colo dele, vi que não era nada tão grande assim, e então já comecei a ver que a situação era completamente outra.

Taz, o carinhoso.

"Eu dormindo encostadinho na minha mamãe."

Quando cheguei ao lado dele, lá estava aquela bolinha de pelos preta, dormindo no colo do meu marido com o jeitinho mais assustado do universo. Seu coraçãozinho batia tanto que parecia que ia sair pela boca! Fizemos muito cafuné, dei um pacotinho de Whiskas Sachê e ficamos ali, pensando no que fazer. Claro que essa dúvida não durou mais do que alguns segundos, pois não havia outra coisa a fazer a não ser acolher mais esse presente que Deus se encarregou de nos dar, da maneira mais inesperada.

Taz dormindo no travesseiro

"Acho uma delícia dormir no travesseiro!"

O problema é que no dia seguinte, bem cedinho, já tínhamos uma viagem marcada para São Paulo. Então o deixamos isoladinho no quartinho de visitas, o mesmo no qual a Lindinha ficou no seu período de recuperação, e lá fomos nós, com o coração apertado. Temos uma amiga de confiança e que adora animais que sempre cuida dos nossos filhotes quando viajamos. Voltamos dois dias depois e começamos a fazer a integração dele com o restante da Família Gatos. O que, diga-se de passagem, não deu problema algum… pelo menos para ele. ;)

Taz mordendo o pé do Cisquinho

"Eu atento a vida do Cisquinho o dia todo!"

Já faz uma semana que essa bolinha preta está conosco e demos a ele o nome de Taz, pois nada poderia combinar mais. Pensem num serzinho que não tem paradeiro, corre como o vento e atenta a vida de todo mundo! Ele não tem medo nem do Kotó, que deve dar uns 20 dele. Em compensação, é um anjo quando dorme e é o mais safado que tivemos até hoje! Com alguns dias em casa já vinha dormir na cama com a gente. Mais precisamente, no travesseiro com a gente, pois é o lugar onde se sente mais confortável. Passa a noite toda andando de um travesseiro a outro, deitado encostadinho na gente, é um dengo só. Quanto aos gatinhos, o que o aceitou mais depressa e virou seu companheiro inseparável, foi o Cisquinho. Assim como ele já havia feito com a Lindinha, não o estranhou nem no primeiro dia e é super amoroso e paciente com esse demoniozinho da Tasmânia.

Taz e o Cisquinho

"Eu e meu irmão inseparável, o Cisquinho."

E assim é, meus caros amigos. Cá estamos nós agora com 8 gatos (4 meninos e 4 meninas), 2 coelhos e uma cachorra que vale por 10! Há alguma forma de termos uma família mais linda do que essa? Que seja bem vindo o Taz, com toda a energia e agitação que só um gatinho de pouco mais de mês pode ter. E que seja feliz em nossa casa, pois já estamos mais felizes por poder tê-lo conosco.

Taz no seu lugar preferido, o travesseiro

"Vocês ainda vão me ver muito por aqui, dormindo no travesseiro dos meus pais."


7 dez 2011

Vômito e regurgitação

Cris

Hoje vou falar de um assunto que desagrada a alguns mas, quem tem filhos (bichos ou humanos), não vai se sentir tão desconfortável assim… rsrsrs

Como eu já escrevi um dia, cada gatinho em casa tem uma personalidade completamente diferente. Assim como manias diferentes também. O assunto de hoje é devido ao comportamento que a nossa Pretinha apresenta de vez em quando: a devolução da ração ingerida. Não é todo dia e às vezes se passa um grande período sem que isso aconteça. Mas há épocas em que acontece todos os dias. Por isso resolvi investigar um pouco mais a fundo para ver o que poderia ser.

Uma descoberta muito interessante que eu fiz foi que existe duas situações: o vômito e a regurgitação. Eca! Pois é, e vamos às diferenças de cada um para podermos entender o que se passa.

O vômito se caracteriza por devolução do conteúdo estomacal, já em estado de digestão, geralmente com presença de bílis e cheiro característico. Vômito é sinal de que alguma coisa não vai bem e, caso ocorra mais de duas vezes ao dia, merece uma visita ao veterinário para ver o que está acontecendo, com risco do bichano ficar desidratado. Se for acompanhado de outros sinais, tais como febre e prostração, aí é melhor correr mesmo!

Já a outra situação se caracteriza pela devolução do alimento que ainda estava no esôfago e pode ter várias causas, entre elas a alimentação muito rápida ou com a ingestão de muito líquido depois, e se chama regurgitação. A regurgitação não inspira maiores cuidados, desde que também não esteja acompanhada de outros sinais. Aliás, nesse caso é comum que o gatinho se alimente do mesmo alimento que regurgitou. Eu sei, não é muito legal de se pensar mas é assim que acontece com eles. Digamos que é a sua “cultura”… rrsrs

E foi assim que descobrimos que a Pretinha não tem vômito, e sim regurgitação. Como ela não tem outros sintomas, e apesar desses episódios esporádicos, continua engordando, já consegui ficar mais tranquila.

PS1: Post sem fotos por motivos óbvios.
PS2: Amanhã tem decoração nova de Natal, venham prestigiar!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...